Untitled Document


A LUIZA DOS CEM ABRAÇOS



Por Mário Lincoln (*)

 

Só agora pude reler atentamente o livro de Osvaldo Rocha sobre sua mãe, Luiza Pereira Rocha. Trata-se de uma história emocionante de uma menina que virou mulher e virou Mãe.

A mãe-exemplo, cujos filhos lhe saíram grandiosos. Osvaldo Pereira Rocha, o autor de “Centenário de Luiza Pereira Rocha”, prefaciado pelo jornalista Carlos Andrade, reflete exatamente a imagem cálida, mas aguerrida de Luiza, de cuja origem no povoado de Olho D’Água Grande (MA) mostrou ao Estado e ao Brasil, que a mulher nordestina antes mesmo de ser obstinada, tem seus fortes ideais.

Tomo a liberdade de citar, por exemplo, um grande romance que li nos meus tempos ginasianos, no Liceu maranhense. Trata-se de ‘Senhora’, publicado em 1875, considerado o principal romance urbano de José de Alencar.

Ao ler o livro de Rocha, lembrei-me imediatamente da personagem central de Alencar, a heroína Aurélia, como o próprio nome indica, representava o brilho e a glorificação da moral; é edificada ao redor da ideia de que, nas camadas populares, ainda não contagiadas pelas normas e hábitos burgueses, residem a alma e o espírito puros, a honradez e integridade de caráter.

Claro, Luiza Pereira Rocha tem características parecidas. Mãe de 20 filhos, nunca se deixou abater pelas intempéries que por ventura lhe vieram anuviar o caminho.

Foi íntegra ao lado do marido Antônio da Silva Rocha, aliás, homem seguro e lutador, cujas qualidades lhe deram 4 mandatos de vereador de Pedreiras (MA) e um de prefeito de Santo Antônio dos Lopes (MA), onde foi seu povoador, em 1922, com Mariano Lopes, estabelecendo-se nessas terras em busca de bons cultivos.

Como fraseio em minha mais nova obra #DOMEULIVRO, a ser lançado por editora nacional de São Paulo, no ano que vem, “Mãe é aquela que gera os filhos no coração”, Luiza sempre mereceu de minha parte uma atenção muito especial. Mesmo porque minha amizade com Osvaldo Rocha é quase um sacerdócio, ao longo de mais de 30 anos, tendo sido eu o seu primeiro editor, fazendo-o lançar seus belos textos no nível País, através do site (1996) Mhario Lincoln do Brasil.

Para mim, ler e reler este livro sobre Luiza Pereira Rocha é reviver momentos de muita lição de vida. Fui algumas vezes na tradicional casa da família na rua de São Pantaleão (centro de São Luís-MA) e lá pude constatar quão atenciosa era Luiza com os amigos dos seus filhos. Sempre disposta a oferecer um cafezinho, um abraço. Sempre cheirosa, Luiza representava o quão ser simples era tão valioso, pois sua simplicidade era envolvente, poderosa, inteligente e, já perto de seus anos de prata, um pouquinho teimosa com os conselhos dos filhos mais velhos.

Foi valente e ficou como exemplo maior, dia em que ameaçaram seu marido Antonio de morte. Ela ficou ao seu lado à espera de quem lhe havia mandado recado de ameaça.

Hoje, Luiza permanece viva. Seu nome foi reproduzido numa grande prole de netas e bisneta, tornando-a imortal. Sua alma, ao lado do Senhor, no Céu, a tudo observa e continua feliz em saber que toda a sua família a venera e a agradece por tudo o que fez por todos eles.

Daqui, fica meu abraço à família Pereira Rocha e especialmente ao meu dileto amigo Osvaldo Pereira Rocha, de cuja inteligência e organização surgiu este “Centenário de Luiza Pereira Rocha” que acabado de reler e guardá-lo no lado direito de minha estante do coração.


*Mhario Lincoln - Jornalista e advogado, Curitiba, 29.10.2013.





Para ver as fotos relacionadas a este e outros assuntos click em menu, no link familia.

   
"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"