Untitled Document



HUMILDADE E TOLERÂNCIA
Osvaldo Pereira Rocha*
Para honra e glória do Grande Arquiteto do Universo.


Recordar é viver. Por isso, reproduzo aqui trechos de discurso do grande Maçom Ruy Barbosa, no Senado, em 1914, assim como parte do meu artigo Humildade e Tolerância, digitalizado e publicado no meu livro Maçonaria – Uma Instituição Admirável, em 24/06/2010.
“A falta de justiça, Senhores Senadores é o grande mal da nossa terra, o mal dos males, a origem de todas as nossas infelicidades, a fonte de todo o nosso descrédito, é a miséria suprema desta pobre nação”.

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”.

Já disse muitas vezes que a Maçonaria é uma instituição admirável pelos seus princípios, pela sua história e pela sua razão de ser. Já disse também por vezes que a Humildade e a Tolerância são duas grandes virtudes do Homem Maçom.

Não me custa repetir também, aqui, que a

Maçonaria tem como destaques os princípios de custo permanente à virtude e o combate sem cessar aos vícios, ou seja, que construir templos à virtude e cavar masmorras aos vícios, são trabalhos incessantes da Sublime Ordem Maçônica.

Mantenho agora o que tenho dito, por serem tais afirmações a expressão da verdade, ou seja, o Maçom é um Eterno Aprendiz. Todavia, só a aprendi em sua interessa na noite do dia 20 de março de 2010, quando, em companhia do meu irmão e amigo Givaldo Lino Mendes Vieira, fomos investidos ou iniciados no grau 33 do Rito Escocês Antigo e Aceito, REAA, o mais alto grau da Maçonaria Filosófica.

A informação acima, todavia, só a compreenderão os Grandes Inspetores Gerais da Orem Maçônica, face às especifidades ritualísticas de humildade dos Iniciados e de tolerância de todos.

A Maçonaria é um maravilhoso sistema de moralidade, velado por alegorias e ilustrado por símbolos. Ela é única, mais é composta pela Maçonaria simbólica, que compreende os graus 1, 2 e 3; e pela filosófica, integrada pelos graus 4 ou 4º ao 33 ou 33º, de acordo com o respectivo Supremo Conselho.

O universo maçônico sabe, contudo nunca é demais repetir que o Homem Maçom jamais deverá deixar de defender e praticar os princípios e/ou virtudes liberdade, igualdade e fraternidade; humildade e tolerância; construir templos à virtude e cavar masmorras aos vícios.

Rogo ao Grande Arquiteto do Universo para que continue nos abençoando.

*Colaborador, registro DRT/MA nº 53. Grão-Mestre “Ad Vitam” do GOAM, hoje GOEMA. Grande Inspetor Geral da Ordem, Grau 33º. Site www.osvaldopereirarocha.com.br


Clik no link do menu ao lado para ver as fotos relacionadas a este e outros temas

"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"