Untitled Document


SÍNTESE HISTÓRICA DA MAÇONARIA

A História registra que foi durante a Idade Média que as Corporações de Trabalhadores de Pedra espalharam pela Europa construções arquitetônicas que, ainda hoje, despertam admiração e proclamam a imperecível glória da Maçonaria Operativa. No decorrer do século XVII, contudo, esta chegou ao seu final, mas desses admiráveis operários subsistiram algumas confrarias, com a parte social das corporações. Que no princípio do século XVIII essas fraternidades de socorros mútuos criaram um poder central regulador, ou seja, a Grande Loja de Londres, e a Maçonaria, transformando-se em Especulativa, assumiu, desde logo, o aspecto de uma associação empenhada na reforma dos dissolutos costumes da sociedade daquela época, aflitivo problema do momento.

No Brasil, a história nos conta de fundações das primeiras Lojas Maçônicas a partir de 1800, em Niterói (Loja União, depois mudada para Reunião); em Salvador (Loja Virtude e Razão); no Estado de Pernambuco (Lojas “Restauração”, “Patriotismo”, “Guatimozin”, “Pernambuco do Oriente”, “Pernambuco do Ocidente”, entre outras), de cunho político. Na Revolução Pernambucana de 1817, para ilustres historiadores idealizada no Aerópago de Itambé (mesmo nome da cidade pernambucana situada na divisa com a Paraíba), muitos maçons perderam a vida. Em 15 de novembro de 1815 foi fundada no Rio de Janeiro a Loja Maçônica “Comércio e Artes”, praticando o “Rito Adonhiramita”, subordinada ao Grande Oriente Lusitano. Foi por influência dessa Loja que políticos importantes para a História do Brasil praticaram atos de relevância ímpar para a Independência do nosso País.

Em 17 de junho de 1822 uma Assembleia Geral dos Maçons desmembrou a Loja e criou as seguintes: “Comércio e Artes na Idade do Ouro”, “União e Tranquilidade” e “Esperança de Niterói”, simbólicas, fundando ao mesmo tempo o Grande Oriente Brasileiro, o hoje Grande Oriente do Brasil, reconhecido pelo Grande Oriente de França e pelas Grandes Lojas da Inglaterra e dos Estados Unidos da América do Norte. Na mesma data de 17/06/1822, José Bonifácio de Andrade e Silva foi aclamado Grão-Mestre, ou seja, o mais importante cargo da Potência Maçônica.

Em 13 de maio de 1888 os propagandistas da Abolição da Escravatura no Brasil, com destaque para os Maçons Rui Barbosa, Joaquim Nabuco, Luís Gama, Bernardino de Campos, José do Patrocínio e tantos outros, conseguiram a Lei número 3.353, chamada de Lei Áurea, assinada pela Princesa Isabel, Regente do Império, que declarou extinta a escravidão no Brasil.
A Inconfidência Mineira deu início à ideia republicana no Brasil, em 1789, aspiração também da Revolução Pernambucana, de 1817, e a Confederação do Equador, em 1824, quando os Maçons estiveram presentes em todos esses movimentos e em todos eles correram seus sangues patrióticos.

E em 15 de novembro de 1889 a República foi proclamada, sendo o generalíssimo Manoel Deodoro da Fonseca o primeiro chefe do governo, governo este composto exclusivamente por Maçons, isto é, Aristides Lobo , Rui Barbosa , Benjamin Constant, Eduardo Wandenkolk, Quintino Bocaiuva e, posteriormente, Campos Sales e Demétrio Ribeiro. Deodoro da Fonseca foi, em 19 de novembro de 1889 , eleito Grão-Mestre da Maçonaria, assumindo esse importante cargo em 24 de março do ano seguinte. Diante do exposto, há um capitulo em branco na História do Brasil, capítulo este que se refere à Maçonaria, atuante em todos os momentos decisivos da Pátria, desde o Dia do Fico à Proclamação da República.

No Maranhão, várias Lojas já têm mais de 100 anos de fundação, como a “Renascença Maranhense”, a “Rio Branco IV” e a “17 de Outubro”.

Desde 1927 os Maçons brasileiros estão agrupados ou no Grande Oriente do Brasil – GOB, com Grandes Orientes nos Estaduais ou nas Grandes Lojas, coordenadas pela Confederação Maçônica Simbólica do Brasil – CMSB e, a partir de 1973, também nos Grandes Orientes Independentes ou Autônomos tendo estes como entidade nacional a Confederação Maçônica do Brasil - COMAB. Todavia, a Maçonaria, a maior e mais antiga organização fraternal da Terra, que não é secreta, mas tem seus segredos e que não é religião, é uma só e, portanto, as potências maçônicas e suas Lojas e os Maçons coexistem harmonicamente.

*Grão-Mestre “Ad Vitam” do Grande Oriente Autônomo do Maranhão – GOAM. E mail: rocha.osvaldo@uol.com.br e site: www.osvaldopereirarocha.com.br

Para ver as fotos relacionadas a este e outros assuntos click em menu, no link maçonaria.

"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"