Untitled Document

DIA MARÍTIMO MUNDIAL

São palavras do eterno mestre Rui Barbosa, históricas e célebres que “o mar é um curso de força e uma escola de previdência. Todos os seus espetáculos são lições”.

“É tempo de olharmos para o mar! Não apenas para suas belezas naturais que enchem os nossos olhos e os nossos espíritos de leveza, de paz e de emoção. Nem apenas contemplar, a partir da praia, ou mesmo, do convés de um navio, as múltiplas tonalidades e formas que assume em função do tempo e das condições atmosféricas” (Ordem do Dia nº 02/2005, da Diretoria de Portos e Costas, assinada pelo Exmo. Sr. Vice-Almirante Marcos Martins Torres).
Para quem ainda não sabe, a importância do mar para o nosso País é tamanha que dele e dos portos depende mais de 90% de suas importações e exportações, vitais para nossa economia.

Quem desconhece que a Marinha do Brasil é a primeira força armada do país e que às Forças Armadas, instituições nacionais permanentes, cuja presença é relevante em nossa História, como grandes baluartes da soberania, da integridade e da união nacionais, estão aliadas ao esforço brasileiro de evolução, mantendo os seus ideais voltados para a grandeza do Brasil?

Alguém desconhece que à Marinha compete envidar esforços visando a segurança da navegação marítima e fluvial, com a conseqüente preservação da vida humana no mar e vias navegáveis, além das embarcações atracadas e ao largo?

Todos devem saber que à Marinha compete intensificar o exercício de Polícia Naval, promovendo inspeções e vistorias nas embarcações; intensificar as atividades de patrulha costeira; incentivar a produção de informações estratégicas e operativas, em proveito do emprego adequado do Poder Marítimo Nacional e planejar a mobilização marítima em tempo de paz, inclusive estabelecendo normas a serem cumpridas para a construção de navios mercantes selecionados, adequando-os a uma rápida transformação para emprego militar.

A prevenção de acidentes marítimos, pesqueiros e portuários, e a preservação da vida humana no mar e vias navegáveis e o ensino profissional marítimo são tarefas da nossa Marinha, através de suas Capitanias dos Portos (no Maranhão, a querida CPMA tem hoje o comando firme e sereno do CMG (T) Luiz Carlos de Melo).

Quando se comemora o Dia Marítimo Mundial, data móvel (última sexta-feira do mês de setembro) ou outra data comemorada pela Marinha do Brasil se impõe que se recorde tudo isso.

Nas décadas de 1970 e 1980, como integrante do corpo funcional (Inspetor do Trabalho / Fiscal do Trabalho, tendo exercido as funções de Chefe do Serviço de Inspeção e de Segurança e Medicina do Trabalho e de Chefe do Gabinete do Delegado) da Delegacia do Trabalho Marítimo no Maranhão (DTM/MA), órgão do então Ministério do Trabalho e que tinha como Delegado o próprio Capitão dos Portos no Estado, participei anualmente das comemorações alusivas ao Dia Marítimo Mundial, na sede da CPMA ou no Porto do Itaqui e o fiz com muita satisfação, ciente de que “navegar é preciso” e sem jamais esquecer que o nosso querido Brasil foi descoberto pelo Mar e dele depende para o seu desenvolvimento.

Ciente também de que os nossos navios e as nossas cargas não podem demorar a alcançar o seu destino por falta de portos adequados, bem equipados e com agilidade compatível com a tecnologia do nosso tempo. Nem mesmo que as mercadorias ou produtos sejam gravados por custos decorrentes do estrangulamento das vias de acesso aos portos. Devemos refletir sobre os nossos caminhos para o desenvolvimento, já que estamos caminhando, mas precisamos acelerar os nossos passos.

A nossa Marinha Mercante merece uma atenção especial nesse contexto, desde a construção de seus navios à preparação de seus profissionais, que devem ser bem qualificados para guarnecerem os nossos navios...

Estas reflexões e as providências necessárias a serem adotadas pelas autoridades federais competentes se tornam necessárias neste ano de 2008, enquanto se comemora o Dia Marítimo Mundial e sempre!

 

Clik no link do menu ao lado para ver as fotos relacionadas ao tema Marinha

"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"