Untitled Document


IMACULADA CONCEIÇÃO

Para honra e glória do Grande Arquiteto do Universo (Deus Pai).“Dai de comer a quem tem fome e de beber a quem tem sede”.(Deus Filho). “O homem vale mais pelo que é do que pelo que tem”.

Em 08 de dezembro, nós, católicos, comemoramos Nossa Senhora Imaculada Conceição, Nossa Senhora da Conceição, Maria Santíssima, a Rainha de todos os santos. Este dia invoca a vida e a virtude da Virgem Maria, mãe de Jesus Cristo, concebido sem a marca do pecado original. Neste dia realiza-se uma festa religiosa que celebra um dogma católico definido como festa universal, ou seja, de grande significado para a Igreja Católica. Feriado nacional.

Essas são verdades muito antigas. Os padres e doutores da Igreja oriental ao exaltarem a grandeza de Maria, Mãe de Deus Filho, usavam expressões como “cheia de graça”, “lírio da inocência” e “mais pura que os anjos”.

A Igreja ocidental, que sempre muito amou a Santíssima Virgem, tinha certa dificuldade para aceitação do mistério da Imaculada Conceição. Em 1304, o Papa Bento XI reuniu na Universidade de Paris – França, uma assembleia dos doutores mais eminentes em Teologia, para terminar as questões de escola sobre a Imaculada Conceição da Virgem. Foi o franciscano João Duns Escoto quem solucionou a dificuldade ao mostrar que era sumamente conveniente que Deus preservasse Maria do pecado original, pois a Santíssima Virgem era destinada a ser a mãe do seu Filho, Deus Filho. Isso é possível para a Onipotência de Deus, portanto, o Senhor, de fato a preservou, antecipando-lhe os frutos da redenção de Cristo.

Em 25 de março de 1646, o rei Dom João IV organizou uma cerimônia solene, em Vila Viçosa, para agradecer a Nossa Senhora a Restauração da Independência de Portugal em relação à Espanha. E foi até a Igreja Nossa Senhora da Conceição, declarando-a padroeira e rainha de Portugal.

Rapidamente a doutrina da Imaculada Conceição de Maria, no seio de sua mãe Sant’Ana, foi introduzida no calendário romano. A própria Virgem Maria apareceu em 1830 a Santa Catarina Labouré pedindo que se cunhasse uma medalha com a seguinte oração: “Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós”.

No dia 08 de dezembro de 1854, através da bula ‘ineffabilis’ Deus, do Papa Pio IX, a Igreja oficialmente reconheceu e declarou solenemente como dogma a seguinte frase: “Maria isenta do pecado original”.
A própria Virgem Maria, na sua aparição em Lourdes, em 1858, confirmou a definição dogmática e a fé do povo católico dizendo para Santa Bernardette, e para todos nós, o seguinte: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

Em 1917, em 13 de maio e outros dias treze seguintes, a Virgem Maria apareceu aos três pastorzinhos Lucia, Francisco e Jacinta, em Fátima, Portugal, quando advertiu que haveria acontecimentos trágicos, caso a humanidade não desse ouvidos à sua admoestação. A partir desse fato importante, a Igreja cunhou sua frase “Por fim, o meu Imaculado Coração Triunfará”. E a Virgem foi chamada de Nossa Senhora de Fátima, de quem este articulista é devoto, considerando-a respeitosa e carinhosamente sua Senhora e Mãe Celestial. E, para celebrar o centenário de sua aparição, em 2017, o Instituto LumenSapientle, de São Paulo e a Associação Católica Nossa Senhora de Fátima lançaram umlivro, com uma bela foto da Virgem de Fátima na capa, contendo 158 páginas.

Viva o dia 08 de dezembro! Imaculada Conceição, rogai por nós!Que o Grande Arquiteto do Universonos ilumine e guarde! SL, 25/11/2019.



"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"