Untitled Document



INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

Para honra e glória do Grande Arquiteto do Universo.
“Ser feliz é reconhecer que vale viver apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise” (Fernando Pessoa).


A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes do nosso País, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal. Este articulista cita o fato mais conhecido, ou seja, o de Tiradentes, que foi executado pela coroa portuguesa por defender a nossa liberdade, durante o processo da Inconfidência Mineira.

Em 09 de janeiro de 1822, Dom Pedro I recebeu carta das cortes de Lisboa – Portugal exigindo seu retorno para aquele País. Há tempos os portugueses insistiam nessa ideia, pois pretendiam recolonizar o Brasil e a presença de Dom Pedro impedia este ideal. Porém Dom Pedro respondeu negativamente aos chamados e proclamou o que se segue: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, digam ao povo que fico”.

Após o Dia do Fico Dom Pedro tomou uma séria de providências, que desagradaram a metrópole. Providências essas que preparavam o caminho para a Independência do Brasil. D. Pedro convocou uma Assembleia Constituinte, organizou a Marinha de Guerra e obrigou as tropas de Portugal a voltarem para o reino. Determinou também que nenhuma lei de Portugal seria colocada em vigor no nosso País sem o “cumpra-se”, ou seja, sem a sua aprovação. Além disso, o futuro Imperador conclamava o povo a lutar pela Independência.

O Príncipe fez uma rápida viagem a Minas Gerais e a São Paulo para acalmar setores da sociedade que estavam preocupados com os últimos acontecimentos, pois acreditavam que tudo isso poderia ocasionar uma desestabilização social no nosso País. Durante a referida viagem, D. Pedro recebeu nova carta de Portugal, que anulava a Assembleia Constituinte e exigia a volta imediata dele para a metrópole.
Essas notícias chegaram às mãos de D. Pedro, quando este estava de viagem de Santos para São Paulo, próximo ao riacho Ipiranga, quando levantou a espada e gritou “Independência ou Morte”. Este fato histórico aconteceu no dia 07 de setembro de 1822. Dom Pedro foi declarado Imperador do Brasil.

Os primeiros países que reconheceram a nossa Independência foram os Estados Unidos e o México. Portugal exigiu do Brasil o pagamento de 2 milhões de libras esterlinas, para reconhecer a Independência de sua ex-Colônia. Sem esse dinheiro D. Pedro recorreu a empréstimo da Inglaterra. Foi o início da história de nossa dívida externa.

Em grande parte do país houve tranquilidade, aceitação e até comemoração pela independência brasileira. Porém, em algumas províncias, principalmente no Nordeste, ocorreram manifestações e revoltas organizadas por portugueses, que não queriam a ruptura com Portugal. Militares brasileiros foram enviados para essas regiões e combateram esses movimentos, que ficaram conhecidos como “as guerras de independência do Brasil”.

Embora tenham sido de grande valor, estes fatos históricos não provocaram rupturas sociais no Brasil. O povo mais pobre sequer acompanhou ou entendeu o significado da Independência. A estrutura agrária continuou a mesma, a escravidão se manteve e a distribuição de renda continuou desigual. A elite agrária, que deu suporte a D. Pedro I foi a camada que mais se beneficiou.

Porém, não podemos deixar de lado o fato de termos conquistado a desejada soberania. Depois de 1822, pudemos fazer nossas próprias leis, definir nossos caminhos como Nação Livre e deixar de pagar altas e injustas cargas tributárias para Portugal. E não podemos nos esquecer de que a Maçonaria contribuiu, sobremaneira, para essa nossa independência, para a abolição da escravatura e para a proclamação desta nossa República.

Viva a Independência do Brasil! Viva o Brasileiro!

Este articulista roga ao Grande Arquiteto do Universo para que continue nos abençoando.

"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"