Untitled Document

PANTANAL MATOGROSSENSE

Turismo, velhas fazendas transformadas em hotéis ou fazendas, guias experimentados, aeroportos, tucano, Tuiuiú, garça e outros pássaros, onça pintada, jacarés, pesca profissional e artesanal, pássaros, antas, quatis, ariranhas, veados galheiros, vitórias-régias, pecuária, sucuri amarela, águas doces abundantes entre dezembro e abril, isolando os bichos e os homens, estes montados em belos cavalos, constituem rara beleza, fazem um espetáculo grandioso, deslumbrante, em áreas dos dois estados (Mato Grosso e Mato Grosso do Sul).

Quando o rio se estreita, os tucanos seguem colados uns aos outros, fazendo enormes esforços para avançar que alguns chegam a ser empurrados para as margens, onde logo são atacados por predadores vorazes. Com o movimento deles nadando contra a corrente, as águas se mexem, fervem e brilham; cardumes de peixes nadando contra a corrente, na piracema e na direção de águas tranquilas para desovar, formam um belo congestionamento aquático.

O tuiuiú com cerca de dois metros de envergadura, é a ave-símbolo do Pantanal. Faz seu ninho no topo de árvores peladas (ipê roxo) e o reutiliza por vários anos. Este articulista observou um ninho em árvore em plena praça da cidade de Pouconé-MT, com aviso da Prefeitura Municipal para se manter silêncio em respeito aos tuiuiús. Estima-se que haja no Pantanal 10.000 ninhos. Depende do nível baixo das águas - no mínimo 50 centímetros - para se alimentar de peixes. Come também larvas, caramujos, caranguejos, sapos e filhotes de jacarés.

Os jacarés são vistos aos montes à beira das lagoas. A onça-pintada, uma das grandes atrações do Pantanal, embora difícil de ser vista e a época da criação de seus filhotes fica mais arisca e ameaçadora. No período das cheias, procura áreas mais altas. É predadora de 85 espécies de animais e os mata sempre furando o crânio com os caninos e quebrando o pescoço. Chega a pesar 150 quilos e é maior que a da Amazônia, disse-me o guia. Este articulista esteve por quinze dias (uma semana em cada Estado) e não teve a alegria de ver uma delas, sequer.

No Pantanal existem pássaros de 650 espécies: eles congestionam os céus, a beira das lagoas e os galhos das árvores, estas geralmente de um verde muito bonito. A anta, com mais de 2 metros de comprimento, é um animal dócil, que come fruta, folhas, brotos, grama e plantas aquáticas. Tem uma tromba flexível e quando acasala emite assobios bem fortes. É um bicho de hábitos noturnos. Vive próximo de rios e áreas úmidas, porque gosta de se banhar com lama.

Vitórias-régias além de mostrarem uma vegetação variada, são belas por natureza. Os quatis são bichos de cores belas, de rabos grandes, que gostam se exibiram para os fotógrafos. A sucuri amarela (cobra) chega a 6 metros de comprimento. Apesar disso, é a menor das sucuris do Brasil. Não ataca serem humanos. A fêmea pode alcançar 30 quilos. Alimenta-se principalmente de aves aquáticas, mas também come peixes e jacarés. É um grande predador de ninho de pássaros. Este articulista viu de bem perto uma delas comendo uma linda garça, em 2001, e fotografei o acontecimento macabro.

A Ariranha vive em grupos de até nove indivíduos. Caça peixe com ajuda das patas dianteiras, como se elas fossem mãos. É predador quase no topo da cadeia alimentar. Só é atacada por onça-pintada. Sua mordida é um grave perigo. Tem hábitos diurnos; faz tocas e mantém seus filhotes em barrancos próximo da água.

Vale a pena se conhecer o Pantanal do Mato Grosso e ou Mato Grosso do Sul.

*Colaborador, registro DRT/MA nº 53. E-mail rocha.osvaldo@uol.com.br e site www.osvaldopereirarocha.com.br



Clik no link do menu ao lado para ver as fotos relacionadas a este aos outros temas

"Não existe caminho para a paz. A paz é o caminho"